Simulador de voo ou Avião?

Simulador de voo AlSim ALX | FSTD Flight Simulator Training Device

Newsavia

Simulador de voo ou Avião?

Falámos com o IFA Aviation Training Center sobre esta questão, onde existem opiniões divergentes: na instrução de voo, qual a opção que do ponto de vista pedagógico e prático, faz mais sentido ser utilizada durante a instrução de voo por instrumentos?

José Madeira, CEO do grupo IFA, partilhou a sua visão sobre a importância dos simuladores de voo na instrução de pilotos (FSTD-Flight Simulator Training Device).

“Grande parte do treino realizado anteriormente em aviões é agora realizado em simuladores de voo. A simulação de voo é crítica para o funcionamento das organizações de treino civis e militares. Padrões internacionais para simuladores de voo foram estabelecidos para garantir consistência aos operadores, reguladores e fabricantes. A simulação de voo continua a dar uma grande contribuição para melhorar a segurança da aviação, reduzindo o impacto no meio ambiente e aumentando significativamente a eficiência do treino de voo por instrumentos e emergências”.

 

 

Vantagens dos Simuladores de voo em treino:

 

Segurança

O primeiro e óbvio benefício do uso de FSTD em treino é a segurança da própria operação de treino. No FSTD, o ambiente de treino é projetado e controlado para evitar qualquer perigo real para os alunos e instrutores. Neste ambiente seguro, um aluno pode cometer erros e aprender com eles, realizar e repetir procedimentos normais e anormais que podem não ser considerados apropriados ou seguros quando realizados num avião. Embora os benefícios do treino em FSTD sejam bem conhecidos, é importante que o treino em FSTD não substitua, mas complemente o treino de voo real.

 

 

Treino de Emergências e Procedimentos

As operações e procedimentos normais podem ser realizados calmamente em aviões, no entanto programas de treino que utilizem FSTD’s oferecem a oportunidade de desenvolver situações e cenários mais complexos. Um programa de treino típico aprovado para a emissão de uma qualificação de instrumentos em avião não é adequado para o treino de certos procedimentos de emergência por motivos de segurança.

 

 

Realismo no treino em FSTD

Por razões de segurança, ao realizar um procedimento anormal ou uma falha no avião, o mau funcionamento é simulado fingindo ou reproduzindo o efeito do dessa situação anormal. Para alguns cenários críticos treinados em avião, como falha do motor durante a decolagem, o elemento surpresa geralmente está ausente por causa de considerações de segurança. Isso nega ao piloto a oportunidade de experimentar falhas como aconteceriam na vida real, diminuindo muito a qualidade do exercício de treino. Estas considerações não se aplicam ao realizar este treino em FSTD. Deste modo o piloto experimenta um treino mais realista, que inclui o elemento surpresa, o processo de diagnóstico e a capacidade de aprender com os erros cometidos num ambiente seguro. O uso de FSTDs oferece ainda outros benefícios para uma organização de treino e seus alunos, por exemplo:

  • Ausência de atrasos devido ao congestionamento de tráfego,
  • Simulação livre de condições de voo: VMC, IMC, Dia, Noite, condição de gelo, independentemente das condições reais do dia do exercício.
  • Elevado grau de previsibilidade no agendamento de missões,(normalmente em torno de 96-98%).

 

Benefícios económicos

Há benefícios económicos no uso de FSTD’s em treino e estes são naturalmente passados aos alunos. A economia feita quando comparada com o voo real pode ser bastante significativa para aviões complexos.

 

 

Benefícios ambientais

Os benefícios ambientais no uso de um FSTD no lugar de um avião incluem emissões mais baixas, menor pegada de carbono, ausência de poluição sonora com natural impacto em voos locais, especialmente durante a noite.

 

 

Fácil registo de dados

O uso de FSTD’s facilita a medição do desempenho de maneira precisa e eficiente. Com um avião real, é muito mais complicado obter dados completos, sincronizados e precisos. É um desafio difícil obter um registo preciso de onde um avião espacialmente está. Ao contrário, com um FSTD todas essas informações de voo estão presentes, podem ser impressas em papel e ser usadas durante o de-briefing com o aluno após a sessão.

 

 

Possibilidade de encontrar condições de voo perigosas sem estar fisicamente em risco

Os simuladores podem ser usados para preparar alunos para lidar com tarefas imprevisíveis ou críticas para a segurança. Estas situações são, na maioria dos casos, inadequadas para a prática de voo real. Entre outras situações estão a prevenção de colisão, incêndio e outros problemas de funcionamento de sistemas. Além disso, os simuladores tornam possível estudar a perceção de perigo, sem expor os pilotos a tarefas perigosas. Os simuladores oferecem uma oportunidade de aprender com os erros num ambiente onde o erro é apenas é só uma oportunidade de aprendizagem.

 

 

Nova oportunidade para “parar, corrigir e repetir”

Simuladores oferecem a oportunidade de feedback em instrução, coisa que não é facilmente alcançada em aviões reais. Por exemplo, é possível congelar, redefinir ou reproduzir um cenário ou situação. Parar uma sessão, conversar com o aluno apontando correções e repetindo o exercício é algo fácil num simulador e virtualmente impossível em voo real.

 

 

 

“Por todas as razões apresentadas, acreditamos que não há treino eficaz sem o uso de simuladores de voo na instrução de pilotos”, adianta José Madeira, terminando com “Fizemos um forte investimento no nosso FSTD, um Alsim Alx topo de gama, que nos permite hoje sermos uma das três escolas em Portugal com capacidade para realizar o MCC em A320 e formação em PBN”.